Três benefícios de se estudar escatologia

A Escatologia é o estudo das últimas coisas. Tem como foco principal o estudo das profecias concernentes ao fim desta era e a volta de Cristo.

Deus criou um plano perfeito, e todas as etapas desse plano são realizadas precisamente. A escatologia não está meramente ligada ao fim desse plano, mas profundamente ligada ao princípio dele. Ora, Deus é o ‘‘Alfa e Ômega, o Primeiro e o Último, O Princípio e o Fim”. Portanto, é de se esperar que todos os seus feitos, antes mesmo de serem realizados, já possuam seus fins.

Além disso, Deus não somente criou seu plano para a humanidade, como também o anunciou: ‘‘Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim. Sou eu que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; sou eu que digo: o meu conselho subsistirá, e realizarei toda a minha vontade’’ (Isaías 46:9,10).

Deus sempre evidenciou seu plano tanto no Antigo como no Novo Testamento. Ele nunca omitiu aquilo que desejava para seu povo. Portanto, a veracidade e a precisão de seus feitos irão de se cumprir, assim como muitos deles já se cumpriram. Pois, foi Ele mesmo que anunciou o ‘‘fim desde o princípio”. O próprio Jesus nos garante. ‘‘…certamente venho em breve’’ (Apocalipse 22:20).

É importantíssimo que conheçamos a respeito desse plano. Paulo declara para a igreja de Éfeso: ‘‘…nunca vos deixei de anunciar todo o conselho de Deus’’ (Atos 20:27). Certamente ele sabia a importância, e o quanto era difícil de explicar todo o conselho de Deus, porém, nunca deixou de fazê-lo.

De fato, as Escrituras possuem textos de difícil entendimento e interpretação, porém, Deus não nos deixou para que não pudéssemos compreendê-los.

O autor de Hebreus declara que muitas coisas de difícil interpretação ele tinha para ensinar, porém, os irmãos eram negligentes e preguiçosos, o que tornava o ensino ainda mais difícil. (Hebreus 5:11). Existem questões na escatologia que, se não nos dedicarmos ao estudo, certamente não iremos compreender. Porém, não trago foco a essas questões agora. Proponho, em seguida, três benefícios do estudo da escatologia para nossas vidas.

Primeiro: Embora na escatologia existam questões difíceis, seu estudo nos dá uma clara certeza: Jesus Cristo, nosso Senhor, irá voltar. Porém, não sabemos o dia de sua vinda. Para muitos, tal incerteza gera conforto, como o mau servo que Jesus descreve em sua parábola. ‘‘Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá; E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios’’ (Mateus 24:48,49). Mas, o efeito que o ‘‘dia do Senhor’’ deve causar em nossas vidas é totalmente o contrário daquele que gerou no mau servo. O dia oculto de nosso Senhor deve gerar em nossos corações motivação e vigilância, conforme Jesus nos ensina: ‘‘Portanto, vigiem porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor.’’ (Mateus 24:42). O apóstolo Paulo também nos ensina essa motivação quanto à vinda de nosso Senhor. ‘‘Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios’’ (1Tessalonissenses 5:5,6).

Alguém que acha que pode aproveitar a vida enquanto Jesus não volta, ou não tem um sinal dessa vinda, na verdade nada compreendeu daquele dia; provando ser, na verdade, um filho da noite e das trevas.

Estudar escatologia portanto, ensina-nos a sermos vigilantes, pois o dia da vinda de nosso Senhor ‘‘virá como o ladrão da noite.’’

Segundo: Passamos a entender que essa vida em nada tem valor, e que nada é mais precioso e lucrativo quanto ansiar pela volta de nosso Senhor. Além disso, ao compreendemos sobre vigilância quanto ao ‘‘dia do Senhor’’, procuraremos nos santificar progressivamente. Essa santificação ocorre quando mortificamos nossa carne e todos seus frutos. Paulo nos ensina isso: ‘‘Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória. Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria’’ (Colossenses 3:2-5). Ou seja, ao começarmos a pensar nas coisas de cima, isto é, nossa eternidade com Cristo, automaticamente percebemos que as coisas da terra não passam de meras cobiças pecaminosas. Essa percepção nos motiva a mortificá-las, para que, quando nosso Senhor, que é a nossa vida, se manifestar, com Ele nos manifestaremos também.

Terceiro: Além de aprendermos a nos tornar vigilantes e a mortificar nossa carne, há ainda um outro benefício ao estudar escatologia: o desejo de habitar eternamente com o Senhor. Esses três pontos andam juntos, pois, de fato, é impossível que eu deseje habitar com meu Senhor pela eternidade sem desejar antes mortificar minha carne. Paulo declara: ‘‘…temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor’’ (2Coríntios 5:8). Antes mesmo de desejarmos habitar com Ele, devemos compreender e desejar deixar este corpo. ‘‘Este corpo’’ não significa meramente o corpo mortal, mas, todos os males que nele habita. De fato, nosso corpo terreno sempre há de carregar pecados em si até que nosso Senhor volte, mas, desejar deixá-lo denota uma forte compreensão acerca da eternidade com o Senhor. Embora não alcancemos plenamente a santidade, é possível seguirmos no caminho de santificação. ‘‘Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor’’ (Hebreus 12:14). Devemos seguir a santificação, e o caminho em que ela nos propõe.

Portanto, o estudo da escatologia serve de caminho para nós. Somos motivados a vigiarmos constantemente, vigilância essa que consiste em mortificar nosso corpo e pecados, com pensamentos nas coisas do alto, avistando o caminho da santificação e desejando andar nele, todos os dias, até que nosso Senhor volte e com Ele habitemos eternamente.

20 anos, membro da Igreja Batista Maanaim, futuro seminarista, estudante de Radiologia, flamenguista e cearense.

Deixe uma resposta