Ansiedade: o grande mal que nos tira a paz

O que é ansiedade? Cristão fica ansioso? Como superar?

Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus. (Fl 4.6,7)

A ansiedade é um dos nossos maiores inimigos, ela não só afeta nossas emoções, mas também nossa mente e corpo. Quando ficamos ansiosos, sentimo-nos apertados e estrangulados. Essa preocupação insuportável afeta o raciocínio, a digestão e até mesmo a coordenação motora. A ansiedade é constituída de pensamentos e de sentimentos incorretos acerca de circunstâncias, pessoas e coisas. Essa angústia intensa é a porta de entrada para a depressão e muitos males físicos e psicológicos. Nosso Deus, soberano e misericordioso, nos deu instruções para nos ajudar nestes momentos (Fl 4.6,7; Mt 6.25-34; 1Pe 5. 7). Muitas de nossas inquietações são frutos da falta de confiança em Deus e em seus planos perfeitos: isso é pecado! Mas é importante deixar claro que não estamos falando que toda ansiedade está diretamente ligada a falta de confiança em Deus, sabemos que existem causas de ordem biológica (desequilíbrios hormonais). Devemos, então, permanecer atentos ao que estamos sentindo e “alimentando” dentro de nós, segundo a sagrada escritura.

O Apóstolo Paulo diz que nada deve nos causar ansiedade (Fl 4.6a), como, pois, estar tranqüilo em meio a tribulação?

Nessa carta aos Filipenses Paulo dá algumas instruções:

1. Orar (vs. 6 e 7)

Como está escrito, a oração é o melhor remédio à ansiedade e ao medo. É importante que nós cheguemos diante dele com humildade e confessemos as nossas inquietações. Contar a Deus o que aflige nossa alma, apresentar a Ele a angústia do nosso ser para que a paz de Cristo que excede todo e qualquer entendimento possa guardar o nosso coração e a nossa mente.

2. Cuidar de nossos pensamentos (vs. 8)

Devemos ocupar nossa mente com tudo que é bom, honesto justo e puro, pensamentos que procedem de Deus. Nossos pensamentos influenciam diretamente nossas emoções e comportamento. Muitas vezes o que nos causa angústia e sofrimento são os pensamentos que alimentamos a respeito de algo. Que nossos pensamentos estejam regados pela palavra de Deus!

3. Praticar a Palavra de Deus (vs. 9)

A prática das Escrituras nos leva a viver o verdadeiro cristianismo, a viver conforme Deus nos designou. Olhe que interessante: uma coisa é ouvir a verdade, outra completamente diferente é recebê-la e interiorizá-la (principalmente quando a verdade nos confronta em algum pecado). Quando a verdade nos liberta e transforma nossa mente, podemos experimentar a vontade de Deus.

O que determina a paz em nossa vida não é a ausência de problemas, mas a presença de Jesus ao nosso lado. Jesus nos prometeu uma paz que o mundo não pode dar (Jo 14.27), no entanto, afirmou, também, que no mundo teríamos aflições. Paz não é a ausência de problemas e aflições, mas é uma dependência completa do cuidado de nosso Pai Celeste. Orando, pensando e vivendo conforme a soberana e maravilhosa vontade de Deus gozaremos dessa tão maravilhosa paz porque o Deus, que nos concede a paz, estará conosco todos os dias.

Texto escrito por Milena Manoela – Divulgação autorizada.

Um comentário em “Ansiedade: o grande mal que nos tira a paz

Deixe uma resposta