Recebendo bem as críticas – Ernie Baker

Revisão: Vanessa Lima | Tradução: Thamyris Millena

Vamos admitir: ninguém gosta de ser criticado. Isso causa intensa dor interna. Davi a experimentou: “[Eles] afiam suas línguas como uma espada. Eles destinam palavras amargas como suas flechas” (Sl 64.3).
Ele foi esfaqueado por palavras. Eu também sei como é ser esfaqueado.

Eu tenho sido criticado pela maneira que lidero ou deixo de liderar. Tenho sido criticado pelo cabelo que há no meu rosto (sim, a barba! Confira aqui). Eu tenho sido repreendido por coisas que tenho escrito e pelo o que não tenho escrito. Tenho sido castigado por terminar uma oração “no precioso nome de seu Filho, Amém” ao invés de “no nome de Jesus”. Tenho sido censurado por trabalhar demais e por não trabalhar o suficiente. Eu tenho sido caluniado; insinuações são feitas sobre o meu caráter, e tenho ouvido que seria melhor que eu fosse um professor da 3ª série do que um pastor. Eles não ficariam chocados se descobrissem que na verdade eu me tornei um professor universitário e de seminário? Alguns têm pensado que sou muito leve aconselhando pessoas e outros têm me chamado de tirano. Como posso processar isso? Eu apenas fico amargo? Eu devo me permitir ficar cínico com as pessoas e com o ministério? Ou devo me afastar?

Vamos deixar que a Escritura nos dê a direção. Ela nos diz: “Quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Co 10.31). Desta forma, tudo deve ser recebido e respondido como um ato de adoração.Através de anos de críticas, esses são alguns princípios que o Senhor tem me ajudado a desenvolver e reproduzir como formas de honrar a Deus:

1.  Se você me conhecesse como eu me conheço, você seria mais duro comigo.

Uma das muitas maneiras que fazem o doloroso trabalho de entender como os tesouros/cultos dos nossos próprios corações nos afetam é o que eles causarão: ou eles vão nos humilhar ou nos endurecer. Eu não quero ser endurecido, então isso tem produzido humildade em mim.

Qualquer um que é verdadeiramente humilde não vai se irritar facilmente, nem ser duro ou crítico de outros.  Ele será compassivo e terno com as enfermidades de seus companheiros pecadores, sabendo que se existe uma diferença é somente a graça que tem feito isso!
Ele sabe que ele tem a semente de todo mal em seu próprio coração. E sob todos os julgamentos e aflições ele olhará para a mão do Senhor e colocará a sua boca no pó, reconhecendo que sofre muito menos que suas iniquidades o fazem merecer.
Arrancar os disfarces da falsa adoração da minha alma tem revelado que existe um enorme trabalho a ser feito. Aqui está a forte realidade: meus críticos nem mesmo sabem toda a verdade. É bem pior do que eles pensam! Se eles soubessem os pensamentos e intenções do meu coração eles provavelmente se perguntariam porquê estou no ministério. Eu posso pensar quando receber críticas, “Isto é o melhor que você consegue?”

Eu continuo não gostando da crítica, mas pelo menos pensar dessa forma me ajuda a responder sem me tornar amargo.

2. Eu tendo a olhar para mim mesmo na melhor luz possível.

Genesis 3 fez mais do que nos mandar para o inferno – distorceu nossa perspectiva da vida e de nós mesmos. Nós, na verdade, pensamos que somos muito bons se não, não machucaria tanto quando somos criticados. Sim, orgulho é a rota de todo pecado.

Essa verdade me ajuda a permanecer realista acerca de mim mesmo. Outros são capazes de me ver de forma mais clara do que eu mesmo posso me ver.

Outra grandiosa verdade que me ajuda é lembrar o controle absoluto do nosso Deus. Eu declaro isso desta forma:

3. Nada entra na minha vida sem primeiro passar pela soberana mão de Deus.

Romanos 11.36 é abundantemente claro e revela como há mistérios no trabalhar de Deus. Paulo escreve “pois dEle, através dEle e para Ele são todas as coisas”, e isso pode incluir as críticas.

Lembra o que Davi escreveu em Salmos 64.3 (citado acima)? Ele é realista. Sim, as palavras me furaram, penetraram como uma flecha, mas elas não seriam capaz de ferir a menos que Deus permitisse que passassem antes pelo escudo, o qual é Ele mesmo.

Consequentemente, por favor, considere o próximo ponto.

4. Eu quero crescer à semelhança de Cristo, então Obrigada por me ajudar.

Romanos 8.28-29 ensina que Deus usa todas as circunstâncias para me aperfeiçoar e me ensinar para esse propósito. Desta forma, essas circunstâncias não apenas vêm através da mão de Deus, como também vêm com um propósito: me ajudar a crescer e parecer mais com o meu Salvador.
Eu quero desesperadamente ser como Ele. Eu preciso ser grato pelas pessoas que me ajudam positivamente ao longo deste caminho, mas também por aquelas que me ajudaram de forma negativa.

Críticas podem ajudar a realizar isso revelando o que deve ser importante para mim. O coração diz respeito, pelo menos parcialmente, às emoções, então quando alguém me critica e isso agita minhas emoções, a crítica deve ter tocado algo que é importante — um tesouro — e eu devo considerar se isso é uma preciosidade maior que o Senhor (Mt 12.34-35).
Reconhecendo que as críticas revelam o que eu entesouro, eu também deveria considerar se as críticas têm peso.

5. Existe um padrão para o criticismo?

Vários anos atrás eu fui criticado por não ser um pastor amoroso e ouvi isso de mais de uma pessoa. Foi difícil para mim ouvir isso pois era justamente o oposto do que achava. Eu achava que era um Super Pastor Amoroso (veja o ponto dois acima). Eu estudava de forma sacrificial para sermões, fazia visitas em hospitais e fazia obedientemente tudo que era requerido. Eu não poderia ignorar isso, até por que mais de uma pessoa havia me dito o mesmo.

Aqui está uma alavanca bíblica para este princípio: se mais de uma pessoa está te falando a mesma coisa ou algo similar, é melhor ouvi-las. Eu baseio isso em Deuteronômio 19:15 o qual declara que ofensas são confirmadas por duas ou três testemunhas (isso se repete em outros lugares como em 2 Co 13.1)

Para concluir, se lembre que…

6. Deus ajustará  todas as coisas.

Eu sou tão agradecido pela verdade de não ter que brincar de Deus na vida de outras pessoas. Ele é o justo juiz que enxugará toda lágrima e fará todas as coisas justamente corretas. A verdade será revelada.

Aplicar esses princípios tem me ajudado a colocar em prática o sábio conselho de Stuart Briscoe que diz, “Um pastor deve ter o couro de um rinoceronte, a mente de um estudioso e o coração de uma criança.”
Caso eu não aplique esses princípios, eu terei a pele de um recém nascido, o cérebro de um consumido por ressentimentos e um coração cheio de cinismo. Desta forma, penso que gosto dos meus princípios para lidar com o criticismo.

23 anos, casada, membro na Congregação  Batista da Graça em Recife; amante da boa teologia. Meu coração deseja a eternidade, Cristo em mim é a esperança da Glória.

Deixe uma resposta