[VÍDEO] Porque como tratamos crianças ainda não nascidas importa – Wayne Grudem

Um exemplo da Escritura 

Há uma passagem significativa a respeito de aborto em Êxodo 21.22-25 que diz:

Se homens brigarem, e ferirem mulher grávida, e forem causa de que aborte, porém sem maior dano, aquele que feriu será obrigado a indenizar segundo o que lhe exigir o marido da mulher; e pagará como os juízes lhe determinarem. Mas, se houver dano grave, então, darás vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, golpe por golpe.

Dois homens estão brigando e aparentemente sem intenção se chocam com uma grávida, causando um nascimento prematuro, mas o bebê e a mãe estão bem. Eles homens, ainda assim, são penalizados por colocarem em risco a vida de uma criança não nascida e sua mãe. Mas, então, o texto diz que “se há aborto, então eles devem pagar vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, golpe por golpe.

Se acontece um aborto, a pena é vida pela vida. A pena de morte é imposta como punição por causar acidentalmente uma morte de um feto. A razão de ser significativo é que em todas as leis do Código Mosaico, causar acidentalmente a morte de outra pessoa não é motivo para pena de morte. Você teria que fugir para uma determinada cidade e esperar por um tempo, até que o sumo sacerdote morresse e, então, você estaria livre. Isto era como uma prisão. Mas você não poderia receber a pena de morte por causar acidentalmente a morte de outra pessoa.

Causar acidentalmente a morte de uma criança ainda não nascida é o único caso na lei Mosaica em que a morte acidental é punida por pena de morte – o que eu acredito que indica que Deus está dando mais alta importância à proteção do feto e da mãe da criança que a proteger a vida de qualquer outra pessoa na sociedade israelita. Esta é uma importante e séria consideração, indicando de que devemos valorizar a vida e a proteção da vida de bebês seriamente.

Além disto, esta é a pena para acidentalmente causar a morte de uma criança ainda não nascida. Quão mais sério deve ser ao julgamento de Deus para intencionalmente causar a morte de um bebê?


Este texto é uma tradução e seu conteúdo original pode ser acessado clicando aqui.


Wayne Grudem (PhD, University of Cambridge; DD, Westminster Theological Seminary)  é professor e pesquisador de Teologia e Estudos Bíblicos no Phoenix Seminary, tendo anteriormente ensinado por 20 anos na Trinity Evangelical Divinity School. Foi presidente da Evangelical Theological Society, membro da Translation Oversight Committee for the English Standard Version of the Bible, editor geral da Bíblia de Estudo ESV  e tem mais de 20 livros publicados.

24 anos, paulista semi-pernambucana, membro da Igreja Presbiteriana de Areias, estudante de Engenharia Química e noiva de Fábio. Trazida, mantida e confirmada por Cristo.

Deixe uma resposta