A riqueza do aconselhamento bíblico para os dias atuais

Inquietações da alma e a suficiência das escrituras

Há algumas décadas têm sido redescobertas as riquezas do aconselhamento bíblico, outrora esquecidas pelo advento e avanço de determinadas teorias que, sob uma cosmovisão na maioria das vezes antropocêntrica, pretendiam reabilitar a saúde mental. Tais teorias, em suas propostas de resolução de conflitos, vinham trazendo um enfoque maior à pessoa, ao seu passado e às circunstâncias em que vivia o indivíduo, as quais eram tidas como sendo o principal fator motivador do conflito e sofrimento apresentado; o que consiste em um dos principais equívocos dos métodos provindos desse pensamento.

O aconselhamento bíblico veio trazer o homem ao olhar interior, não antes de olhar para o Criador, onde verdadeiramente ele conhecerá a si mesmo, mas depois de uma perspectiva da definição de Deus, ter uma definição correta de quem ele é; não pelas teorias humanas, como que buscando soluções em si próprio, mas para atentar a causa dos conflitos que estão sobre sua própria responsabilidade. O aconselhamento bíblico veio como um retorno à compreensão da suficiência das Escrituras para resolver e restaurar as inquietações da alma.

Em pecado e em situação de destituição da glória de Deus, o homem e suas teorias não são capazes de lidar contra os inimigos da alma. O homem olhando para si mesmo, seguindo seu coração ou depositando confiança em sua “força interior” jamais poderá reverter plenamente quaisquer dos quadros, muito menos seu principal problema – distância do Criador. Não é possível ter forças para vencer quaisquer das circunstâncias plenamente, porque nós e tudo o mais que nos circunda também geme por causa da Queda e suas consequências. Nenhum poder obterão sobre os nossos sofrimentos senão o de os mascarar, ou apenas cauterizar nossa alma, levando-a calmamente ao pior dos sofrimentos que alguma alma já padeceu: a ira vindoura contra a iniquidade.

Da impureza do coração de cada homem vivente procede todo o mal, pois é este o solo que o nutre, é sobre ele que o mal se enraíza. E se é verdade que cada homem traz consigo tal condição, qual será aquele em quem se poderá confiar para nos livrar nalgum de nossos sofrimentos? Qualquer oferta de conforto que não nos guie por fim ao manancial de águas vivas, que é o nosso Criador, nos leva à padecer de sede por cisternas rotas que não retém águas (Jr 2.13).

A Palavra, que penetra “juntas e medulas e vai até a divisão da alma e do espírito”, nos traz recursos suficientemente capazes para discernir a causa, o agravo e as consequências de cada caso de sofrimento apresentado, levando correta e seguramente o indivíduo de volta à estabilidade. Cristo revelado na Palavra é o que cavalga prosperamente pela causa da justiça e da verdade, a fim de para Sua Glória, combater seja o inimigo de nossas almas, seja nossa própria natureza, submetendo-a ao seu governo. Ele é o sustentador e provedor da alegria e satisfação completa, e apenas Ele pode conceder a perfeita paz e saúde mental. E é Ele o que perfeitamente pode trazer solução para resolver o maior problema do homem: Reconciliação com Deus.

O trabalho do conselheiro bíblico caracteriza-se pelo olhar ao coração do indivíduo, que foge do profissionalismo, tendo como motivação a preocupação genuína com as almas desestabilizadas. Ele também está ligado ao evangelismo, ao discipulado e à obra de santificação. É pelo aconselhamento pautado na Palavra que o próprio Senhor da lei, concede ao homem o conhecimento e força necessária para enfrentar os obstáculos e sofrimentos provindo dele, e moldá-lo até à restauração da situação.

O conselheiro bíblico não depende das mudanças da pessoa, ou do êxito do caso, mas de Deus. Nele o conselheiro põe a sua confiança e satisfação, sabendo que dEle provém os recursos e o resultado. Ele é poderoso para operar eficazmente o querer e o efetuar.

Essa concepção deprecia o serviço prestado pelas psicologias e psiquiatria exercido? De maneira nenhuma. É reconhecido o papel destas profissões quanto aos distúrbios fisiológicos, controle de manifestações clínicas, controle de indivíduos em crise, testes psicotécnicos, e uma infinidade de situações clínicas. Os diagnósticos e tratamento, estudados e executados por esses profissionais têm seu valor peculiar, e se torna imprescindível a atuação deles para o bom andamento dos casos apresentados. É fato que toda boa dádiva e todo dom vêm do Senhor, e a verdadeira ciência e conhecimento tem suas fontes nEle. Contudo no que diz respeito às necessidades e sofrimentos da alma, entende-se que apenas a ação direta da Palavra operará com eficiência e eficácia a completa restauração do indivíduo. Apenas ela se aprofundará à raiz do problema, e será suficientemente plena e capaz para revitalizar o coração.

Apenas o Criador de nossas almas tem a sabedoria necessária para lidar com ela e seus conflitos. Nele está todo o poder de restaurá-la. E se não tratarmos o problema pela raiz, como pretenderemos plenamente revitalizar o indivíduo, com procederes paliativos? É preciso profundidade para lidar com a alma humana. E essa capacidade de sondagem apenas a Palavra que provém da boca do Senhor a detém.

Revisão: Laisa Caroline | Publicação: Alicia Catarina

Deixe uma resposta